domingo, 11 de dezembro de 2011

Reiki

PEQUENAS ETAPAS ORDENADAS QUE NOS AJUDAM A PERDOAR

Primeiro passo
O primeiro passo é querer perdoar. Às vezes pensamos que queremos
perdoar, mas não percebemos que estamos nos alimentando das energias
de ressentimento que mantém vivo o que deve ser perdoado e esquecido.
Assim, é preciso disposição para nos defrontarmos com esses aspectos
escondidos dentro de nós mesmos.
Podemos repetir, em oração, algumas vezes:
Estou disposto a ver o que, em mim, necessita de cura.
Segundo passo
Identificar o foco do perdão, o que e quem vamos perdoar.
Depois de reconhecido o foco do perdão, buscar como tudo começou,
com calma e em paz, como e se estivéssemos assistindo a um filme.
Podemos repetir, em oração, algumas vezes:
Com amor reconheço o que deve ser perdoado.
Terceiro passo
Este talvez seja o passo fundamental para prosseguirmos com o trabalho
do perdão; trata-se aqui, de reconhecer o funcionamento da mente e do
emocional diante desse nódulo de sofrimento que precisa ser curado.
Para tanto, vamos refletir:
- ter como premissa não julgar – nem a si mesmo nem aos outros envolvidos
na situação, pois cada um acreditava estar fazendo o mais correto.
- tentar reconhecer aquilo que não é real e que pode ser apenas uma
suposição elaborada pela mente e que, no entanto, envenena o coração.
- aceitar que os mal-entendidos existem para serem clareados. Aquilo que
não é aclarado tende a piorar.
- considerar a situação vivida como um aprendizado para todos: somos todos
alunos passando por uma prova. Este é um treinamento constante.
Podemos repetir, em oração, algumas vezes:
Com a sabedoria do coração, vejo com compreensão os erros cometidos.
Quarto passo
Perceber que um grande entrave para o perdão é a dificuldade em aceitar o
que é diferente de nós. Olhando para a situação que precisa ser perdoada,
sempre nos deparamos com essa não aceitação. Se nos consideramos
verdadeiros seres espirituais, uma das virtudes a desenvolver é a tolerância
para com o que não gostamos, com o que não concordamos, com o que não
aceitamos.
Tolerar é acolher que os fatos são como são, independentemente de nossos
desejos e padrões. Isto nos liberta de expectativas e possibilita a paz.
Podemos repetir, em oração, algumas vezes:
Aprendo a tolerar meus erros e os dos meus irmãos, e a paz me preenche.
Quinto passo
Este quinto passo nos remete à essência do que precisa ser perdoado. Precisamos
olhar de frente para nós mesmos e ver o que sucedeu: o fato aconteceu;
não o aceitamos; não o compreendemos; não perdoamos; vivemos a dor.
Se olharmos mais profundamente, veremos que nosso orgulho foi ferido pois
a dor que sentimos se traduz assim: “Como isto foi acontecer comigo?”
A cura para essa ferida é a aceitação de que o orgulho existe e é o que nos
limita e impede de sair da situação.
Podemos repetir, em oração, algumas vezes:
Com humildade, reconheço em mim o orgulho.
Sexto passo
Aqui, trata-se de equilibrar o erro. Propor-se a uma ação, interna ou externa,
que seja a expressão do perdão. Isto deve ser feito com a consciência
sincera de nossa mente, de nossos sentimentos, todo o nosso ser tem que
estar empenhado nesse processo.
Quando o ato do perdão é realizado verdadeiramente, ocorre uma grande
liberação: um nó se desata, uma energia negativa se desprende. Equilibrar
o erro traz a dissolução das amarras e das dores.
Podemos repetir, em oração, algumas vezes:
Com gratidão perdôo e sou perdoado.
Sétimo passo
Aqui a situação que necessita de perdão fica totalmente resolvida. Ocorre
uma reabilitação, porque por muito tempo ficamos vivendo os mesmos
pensamentos, os mesmos sentimentos, a mesma incompreensão.
A reabilitação é realmente iniciar uma nova vida, um novo relacionamento
com aquela situação, pois o passado deixa de existir. Pelas leis de Deus, todos
têm direito à reabilitação.
Podemos repetir, em oração, algumas vezes:
Libertação, Libertação, Libertação.
Estes sete passos podem ser de ajuda para vivermos essa grande expressão
do Amor que é o perdão. Como vimos, com disposição e firmeza, podemos ter
acesso a sublimes energias de cura e libertação, como a energia do perdão.

Espiritualidade X Religião

A religião não é apenas uma, são centenas.
A espiritualidade é apenas uma.
A religião é para os que dormem.
A espiritualidade é para os que estão despertos.

A religião é para aqueles que necessitam que alguém lhes diga o que fazer e querem ser guiados.
A espiritualidade é para os que prestam atenção à sua Voz Interior.
A religião tem um conjunto de regras dogmáticas.
A espiritualidade te convida a raciocinar sobre tudo, a questionar tudo.

A religião ameaça e amedronta.
A espiritualidade lhe dá Paz Interior.
A religião fala de pecado e de culpa.
A espiritualidade lhe diz: "aprenda com o erro"..

A religião reprime tudo, te faz falso.
A espiritualidade transcende tudo, te faz verdadeiro!
A religião não é Deus.
A espiritualidade é Tudo e, portanto é Deus.

A religião inventa.
A espiritualidade descobre.
A religião não indaga nem questiona.
A espiritualidade questiona tudo.

A religião é humana, é uma organização com regras.
A espiritualidade é Divina, sem regras.
A religião é causa de divisões.
A espiritualidade é causa de União.

A religião lhe busca para que acredite.
A espiritualidade você tem que buscá-la.
A religião segue os preceitos de um livro sagrado.
A espiritualidade busca o sagrado em todos os livros.

A religião se alimenta do medo.
A espiritualidade se alimenta na Confiança e na Fé.
A religião faz viver no pensamento.
A espiritualidade faz Viver na Consciência..

A religião se ocupa com fazer.
A espiritualidade se ocupa com Ser.
A religião alimenta o ego.
A espiritualidade nos faz Transcender.

A religião nos faz renunciar ao mundo.
A espiritualidade nos faz viver em Deus, não renunciar a Ele.
A religião é adoração.
A espiritualidade é Meditação.

A religião sonha com a glória e com o paraíso.
A espiritualidade nos faz viver a glória e o paraíso aqui e agora.
A religião vive no passado e no futuro.
A espiritualidade vive no presente.

A religião enclausura nossa memória.
A espiritualidade liberta nossa Consciência.
A religião crê na vida eterna.
A espiritualidade nos faz consciente da vida eterna.

A religião promete para depois da morte.
A espiritualidade é encontrar Deus em Nosso Interior durante a vida.

domingo, 20 de novembro de 2011

Amor Radical ou emoções baratas?

» por Pedro Kupfer
Radha & Krishna
Hoje em dia, está na moda ficar. Pessoas ficam. Por exemplo, ouvimos dizer que Fulano ficou com Sicrana. Demorei um pouco para entender o que era esse tal de ficar. Ainda bem que tenho um dicionário em casa: aprendi que ficar é “manter com (alguém) convívio de algumas horas, sem compromisso de estabilidade ou fidelidade amorosa”. Traduzindo: ficar é viver um relacionamento amoroso avulso. Emoções baratas (cheap thrills), diria Janis Joplin.

Devo estar ficando velho (na outra acepção do termo): não consigo compreender o sentido dessa perda de tempo e energia, desse desgaste e dessa irresponsabilidade em relação aos sentimentos do outro. Para mim, pelo que entendo da visão do Yoga sobre a vida, o amor envolve um grau tão alto de compromisso nos relacionamentos, que aventuras desse tipo ficam imediatamente descartadas.

O yogi, acredito, não quer perder tempo, nem dispersar sua energia, nem ferir os sentimentos de outrem. O yogi de verdade está no processo de libertação (moksha), e busca a mesma inspiração no estudo da filosofia, na prática e nos relacionamentos amorosos. Ele não está atrás dessas emoções baratas, mas do Amor Radical.

Há muita controvérsia em torno da definição do amor. Quando dois humanos tentam descrever esse sentimento, suas definições são quase sempre diferentes. Isso, em caso de chegarmos no consenso de que o amor é de fato um sentimento, coisa bastante questionável, como veremos nesta reflexão.


Amor = sofrimento?


Todos sofremos de amor: seja pela ausência, por medo dele, ou por medo de que ele nos falte. Por que isso acontece? Por que sofremos tanto com algo que deveria nos trazer felicidade? Quando morre alguém que amamos, sofremos. Quando alguém que amamos nos é indiferente, sofremos. Quando morre o amor que nutrimos por alguém, sofremos também. Esse sofrimento é universal, e parece estar baseado numa compreensão equivocada do que seja o amor.

Quando estamos carentes, vemos o amor pelo outro como uma tábua de salvação, uma espécie de transferência da responsabilidade pela nossa própria felicidade para o objeto de amor. Isso significa que, distraidamente, delegamos ao outro a tarefa de nos fazer felizes. Coitado do outro! Ele nem imagina onde está se metendo, nem suspeita qual é o tamanho da missão que, sem aviso, nós delegamos a essa pessoa.

Acredito que isso aconteça porque não compreendemos a natureza do amor. Não sabemos nada sobre ele, que não estejacondicionado pela emocionalização da nossa ignorância e pelos nossos condicionamentos culturais. Não conseguimos pensar além dos valores que a sociedade nos impõe, e essa limitação torna-se uma fonte inesgotável de sofrimento.

O amor é transformado num sentimento por conta da nossa interpretação pessoal, tingida por condicionamentos e lembranças, valores sociais, e a imagem distorcida que temos de nós mesmos. Como projetamos nosso passado no presente o tempo todo, o amor parece evaporar-se depois de pouco tempo. Consequentemente sofremos, ficando à mercê da próxima queda no abismo da montanha russa emocional.


O Amor nos tempos do Veda


Rama e SitaComo admirador da cultura dos Vedas, faz muito sentido para mim o que a Brihadaranyaka Upanishad diz à respeito do amor, e que resolve a equação amor/sofrimento. Esse ensinamento pode nos parecer, ao primeiro olhar, radical e desconcertante.

Numa passagem desse texto, cujo título poderia ser traduzido mais ou menos livremente como “A Grande Floresta do Conhecimento”, o sábio Yajñavalkya está prestes a renunciar ao mundo. Isso inclui as riquezas, a própria família e, obviamente, o amor que ele tem por ela.

Ele chama Maitreyi, sua esposa, e lhe diz que está indo embora para morar na floresta, para levar uma vida decontemplação, dedicada ao autoconhecimento. Também lhe diz que irá deixar todas suas riquezas com ela e sua segunda esposa, Katyayani.

Maitreyi pergunta se essas riquezas poderão dar para ela aquilo que ele está buscando na vida de contemplação. Ele responde com estas palavras: “Não, sua vida seria apenas igual à daqueles que têm riquezas. No entanto,não há a mínima chance da imortalidade ser obtida através da abundância.”

Então Maitreyi disse: “O que deveria eu fazer então, com aquilo que não me torna imortal? Ensine-me, venerável senhor, sobre Aquele que você conhece como o único meio de se alcançar a imortalidade.

Depois, lhe dá uma definição de amor que pode parecer-nos perturbadora ou “egoísta”, respondendo com estas palavras: “Minha querida, você já era minha amada antes, e agora menciona o assunto que me é mais caro. Venha e sente-se: irei lhe explicar. Enquanto lhe explico, medite sobre o que lhe digo:

“Em verdade, não é pelo amor ao esposo, minha querida, que o esposo é amado: ele é amado pelo amor ao Ser que, em sua natureza real, é uno com o Ser Ilimitado. Em verdade, não é pelo amor à esposa, minha querida, que a esposa é amada: ela é amada pelo amor ao Ser. Em verdade, não é pelo amor aos filhos, minha querida, que os filhos são amados: eles são amados pelo amor ao Ser.”

Isso significa que, quando amamos uma pessoa, não estamos amando ela pelo que ela é, mas pelo que ela evoca em nós: a pessoa simples, pacífica e plena que essencialmente somos. Isso, contrariamente ao que possa parecer, não é egoísmo. Deixando de ver o amor como uma emoção, posso cultivar o desapego em relação aos meus próprios sentimentos. Assim, poderei me livrar do sofrimento que inevitavelmente advém quando estou identificado com eles. Dessa maneira, poderei igualmente aliviar o outro da responsabilidade de me fazer feliz. Isso seria exatamente o oposto do egoísmo.


O Amor não é uma emoção


Prana Yoga Journal nº 11, de novembro de 2007Assim, o amor não seria uma emoção ou uma sensação. Uma emoção é uma reação orgânica a um pensamento, acompanhada por mudanças na respiração e na pressão sanguínea. Amor é um estado de paz, advindo do conhecimento de si mesmo como alguém completo, simples,feliz e satisfeito. Por esse motivo, não devemos confundir paixão ou volúpia com amor de raiz. Se, em presença do ser amado, fico em estado de plenitude, satisfeito e em paz, isso acontece porque a pessoa que amo desperta em mim o amor pelo Ser que eu sou.

Dharma, literalmente, significa “aquilo que mantém unido” e é uma palavra que se traduz como harmonia intrínseca, ordem, lei natural. Amor é igualmente um estado de coesão intrínseca, uma força protetiva que envolve grupos de pessoas, famílias ou amantes. Nesse sentido, podemos dizer que amor é dharma. A conexão entre amor e dharma, então, torna-se óbvia. Se o dharma é a cola que mantêm unidas as pessoas, isso não pode ser diferente do amor. Amor pelo Ser, então, é Amor Radical.

Nós não precisamos abandonar nossas vidas e ir para a floresta, como faz o sábio daUpanishad, para reconhecer o amor dessa forma, cultivá-lo desapegadamente e viver uma vida mais plena e feliz. Basta apenas reconhecer a plenitude em nós mesmos, e olhar com responsabilidade para aqueles que amamos, sendo compassivos e não-violentos em relação ao mundo. Namaste! __/\__

Uma “nova” ética para os relacionamentos amorosos

Khajuraho
» por Rosana Biondillo

Por ter, como todos vocês que me lêem agora, passado por algumas amargas experiênciasno setor dos relacionamentos amorosos, comecei a prestar mais atenção à minha volta, procurando entender pelo menos um pouco do que andou me acontecendo.

Não sei se entendi, mas minhas observações estão se transformando numa pesquisa informal: observo as atitudes de pessoas que eu conheço, que são somadas aos comentários que ouço e aos desabafos que escuto. E, pasmem, depois de um tempo fazendo isso, passei alguns meses me sentindo quase um lixo de mulher.

Querem saber por quê?

Porque eu “descobri” uma coisa que já anda acontecendo há séculos, mas que nunca antes me chamou tanto a atenção:


As pessoas fazem sexo primeiro pra descobrir se se gostam como pessoas depois!


Primeiro se transa, depois se vê se se admira.

Primeiro se transa, depois se vê se se respeita.

Primeiro se transa, depois se vê se se importa.

Esse comportamento antes era tido como masculino, porque os homens, mais do que as mulheres, costumavam agir assim. Homens traíam mais e selecionavam menos suas parceiras. Sem querer ser machista ou preconceituosa, essa era a idéia geral. Hoje, não mais.

Hoje, de acordo com algumas estatísticas mais recentes e pelos meus estudos informais, as mulheres traem quase na mesma proporção e já selecionam bem menos seus parceiros. A ponto de eu ter chegado a ouvir, de uma garota de apenas 18 anos, a seguinte constatação:

- É bom eu ficar com esse mesmo (leia-se: namorado), porque tá difícil de encontrar homem.

Embora chulas, essas foram as exatas palavras que escutei. E, considerando-se que estamos no século XXI, é tudo muito triste, não é?

Assim como já me foi triste ter que ouvir que eu sou muito sensível e que me importo muito em fazer a coisa certa. A sugestão que eu mais ouvi e ouço até hoje é:


Deixa rolar pra ver no que vai dar!


Confesso que passei uns tempos bem desanimada, até desapontada comigo mesma, simplesmente por não conseguir ser assim. Até que comecei a realizar que, apesar de tudo isso, essas mesmas pessoas, homens e mulheres, não estavam assim tão felizes. Pelo menos, nem um terço do que esperavam ser.

Descobri, também, que eles não conseguem ser tão espontâneos quanto gostariam, e que passam boa parte do tempo em elucubrações estratégicas para fazer o relacionamento racionalmente “valer a pena”.

Mas foi aí também que eu percebi uma coisa fantástica, que mudou meu olhar e me trouxe uma certeza reconfortante: é essencial poder ser diferente, embora não seja nada fácil.

Acabei, a duras penas, descobrindo que eu adoro poder ser mulher e ser feminina, que eu não gosto de medir forças quando me interesso sinceramente por um homem, e que eu admiro demais as pessoas que conseguem ficar sozinhas sem ser solitárias, quenão sucumbem a qualquer apelo pra ter alguém do lado.

Descobri que repugno essa safra de mulheres-profissionais e de homens-sazonais.

Descobri que a maioria é, quase sempre, burra (não estou falando de QI, mas de consciência) e que existem coisas que não se faz, mesmo que muuuuuuuuuita gente esteja fazendo1.

Descobri que a maior ética para qualquer relacionamento, especialmente aqui o homem-mulher, é tão antiga e tão suprema:


Não faça ao outro aquilo que você não gostaria que fizessem a você.


Não traia, a não ser que você ache o máximo ser traído/a; não brinque com os sentimentos de ninguém, a não ser que você receba de bom grado esse mesmo tipo de tratamento; não mantenha uma relação apenas por não ter ninguém melhor no momento ou por conveniência, ou apenas porque você não suporta nem a idéia de ficar sozinho/a.

O tempo é precioso demais pra não levar a lugar nenhum. Em resumo: não enrole!!!

Posso continuar escrevendo por horas a fio, mas acho que já deu pra entender.

Evoluir como seres humanos é tarefa árdua para homens e mulheres, sem distinção, pois em essência, somos todos um. Como dizia o filósofo Santo Agostinho: na essência a unidade, na aparência a liberdade. E como também dizia Krishnamurti: a liberdade não é uma reação – é um sentimento.

Em pleno século XXI, quando o assunto são os relacionamentos amorosos, a grande liberdade é saber se comprometer consigo mesmo: sem egocentrismos, sem possessividades, sem dependências, oferecendo apenas o seu melhor e fazendo despertar no outro o que ele tem de melhor

Retorno!!!

Olá, fiquei um pouco afastada do Blog, mas estou voltando com força total!!!
Minha Vida, Graças ao Divino está bem corrida, e não estou tento muito tempo pra escrever, mas estou voltando agora e dessa vez é pra ficar!!!! kkkk

Bjks!!!

domingo, 2 de outubro de 2011

Gratidão!!!

Amigos e Amigas queridos que moram dentro do meu coração, já agradeci à todos particularmente, mas quero agradecer novamente pelas muitas mensagens de Aniversário que recebi hoje no decorrer do dia, seja através de recados no orkut, facebook, msg no celular, msn, telefonemas ou pessoalmente, imensamente Grata pelas belas palavras ditas ou escritas, muitas delas me emocionaram, não tinha noção do quanto eu sou Especial para muitas dessas pessoas!!!
Gratidão, Gratidão, Gratidão.... Vocês todos Simplesmente tornaram o Meu Dia muito mais Especial do que ele poderia ser...
Muito Obrigada!!! Fiquem c/ Deus!!!

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Meu Aniver....

Então, chegou o Dia, para alguns o dia de seu Aniversário é uma data entediante, depressiva ou coisa do gênero, mas pra mim é uma grande comemoração, mesmo que ninguém me dê os Parabéns, mesmo q ninguém se lembre, dentro de mim, no meu coração, no meu espírito, Estou em Festa, soltando fogos, pois, pra mim eh qdo o Meu Ano Novo começa verdadeiramente, e olha q esse meu ano novo promete, pois, até agora muita coisa boa aconteceu em minha jornada, e tenho a intuição que muita coisa boa acontecerá ainda!!!
Estou tão Feliz e Radiante, que sinto que nada vai abalar a minha Alegria de viver esses meus 29 aninhos!!!
Realmente à medida que o tempo passa, nós melhoramos muito, em tudo, e hoje sou muito mais Feliz que há algum tempo atrás, sou muito mais feliz que ontem, e amanhã serei muito mais!!!
Agradeço aos bons Seres de Luz, pela vida maravilhosa q eu tenho, pelo ar que eu respiro, pelo Sol que brilha ao nascer, mesmo que algumas vezes as nuvens possam encobri-lo, pela Lua, maravilhosa, que surgi no céu ao anoitecer, por eu poder ouvir, falar, sentir e ver toda essa vida bela que acontece a minha frente todos os dias!
Agradeço pelas bênçãos que tenho todos os minutos de minha existência e Simplesmente pelo fato de poder retornar aqui e poder ter a chance de fazer tudo diferente e melhor que dá última vez!!
Tentar ser o melhor Ser Humano do Mundo, não é Fácil, mas tb não eh impossível!!!
Simplesmente Gratidão, um Feliz Ano novo pra mim!!!
Ahowwww!!!
Thaimí Quevedo

sábado, 24 de setembro de 2011

Tempo Certo!

De uma coisa podemos ter certeza:

de nada adianta querer apressar as coisas;

tudo vem ao seu tempo,

dentro do prazo que lhe foi previsto.

Mas a natureza humana não é muito paciente.

Temos pressa em tudo e aí acontecem

os atropelos do destino,

aquela situação que você mesmo provoca,

por pura ansiedade de não aguardar o tempo certo. Mas alguém poderia dizer:

Qual é esse tempo certo?

Bom, basta observar os sinais.

Quando alguma coisa está para acontecer

ou chegar até sua vida,

pequenas manifestações do cotidiano

enviarão sinais indicando o caminho certo.

Pode ser a palavra de um amigo,

um texto lido, uma observação qualquer.

Mas, com certeza, o sincronismo se encarregará

de colocar você no lugar certo,

na hora certa, no momento certo,

diante da situação ou da pessoa certa.

Basta você acreditar que nada acontece por acaso. Talvez seja por isso que você esteja

agora lendo estas linhas.

Tente observar melhor o que está a sua volta.

Com certeza alguns desses sinais

já estão por perto e você nem os notou ainda.

Lembre-se, que o universo sempre

conspira a seu favor quando você possui um

objetivo claro e uma disponibilidade de crescimento.

Paulo Coelho

É Proibido...


É proibido chorar sem aprender,
Levantar-se um dia sem saber o que fazer
Ter medo de suas lembranças.

É proibido não rir dos problemas
Não lutar pelo que se quer,
Abandonar tudo por medo,

Não transformar sonhos em realidade.
É proibido não demonstrar amor
Fazer com que alguém pague por tuas dúvidas e mau-humor.
É proibido deixar os amigos

Não tentar compreender o que viveram juntos
Chamá-los somente quando necessita deles.
É proibido não ser você mesmo diante das pessoas,
Fingir que elas não te importam,

Ser gentil só para que se lembrem de você,
Esquecer aqueles que gostam de você.
É proibido não fazer as coisas por si mesmo,
Não crer em Deus e fazer seu destino,

Ter medo da vida e de seus compromissos,
Não viver cada dia como se fosse um último suspiro.
É proibido sentir saudades de alguém sem se alegrar,

Esquecer seus olhos, seu sorriso, só porque seus caminhos se
desencontraram,
Esquecer seu passado e pagá-lo com seu presente.
É proibido não tentar compreender as pessoas,
Pensar que as vidas deles valem mais que a sua,

Não saber que cada um tem seu caminho e sua sorte.
É proibido não criar sua história,
Deixar de dar graças a Deus por sua vida,

Não ter um momento para quem necessita de você,
Não compreender que o que a vida te dá, também te tira.
É proibido não buscar a felicidade,

Não viver sua vida com uma atitude positiva,
Não pensar que podemos ser melhores,
Não sentir que sem você este mundo não seria igual.


Pablo Neruda

NÃO DEIXE O AMOR PASSAR


Quando encontrar alguém e esse alguém fizer seu coração parar de funcionar por alguns segundos, preste atenção: pode ser a pessoa mais importante da sua vida.
Se os olhares se cruzarem e, neste momento,houver o mesmo brilho intenso entre eles, fique alerta: pode ser a pessoa que você está esperando desde o dia em que nasceu.
Se o toque dos lábios for intenso, se o beijo for apaixonante, e os olhos se encherem d’água neste momento, perceba: existe algo mágico entre vocês.
Se o primeiro e o último pensamento do seu dia for essa pessoa, se a vontade de ficar juntos chegar a apertar o coração, agradeça: Deus te mandou um presente: O Amor.

Por isso, preste atenção nos sinais - não deixe que as loucuras do dia-a-dia o deixem cego para a melhor coisa da vida: O AMOR.

Carlos Drummond de Andrade

sábado, 17 de setembro de 2011

Descomplique, simplifique e seja bem mais feliz!

Por que tantas pessoas têm a impressão de que serão consideradas mais responsáveis na mesma medida em que mais complicadas forem suas vidas? Parece que resolveram acreditar que simplicidade, neste mundo globalizado, é sinônima de descompromisso.


Por conta desta distorção e desta conclusão completamente equivocada, milhares de pessoas têm sofrido bem mais do que o necessário para atingir resultados que poderiam ser facilmente alcançados com uma boa dose de objetividade e transparência.

Casais que transformam motivos banais em decretos que sustentam guerras intermináveis. Pais que gritam e esbravejam com seus filhos quando bastaria uma conversa clara e direta. Amigos que insistem em apontar uma mancada do outro quando poderiam aceitar um pedido de desculpas e seguir adiante.

Enfim, contaminados pela ansiedade, envenenados pela dinâmica insana de uma rotina inconsciente, muitos têm perdido o melhor da vida por conta de picuinhas. Tanto alimentam os detalhes irrelevantes que nem se dão conta dos momentos especiais.

A boa notícia é que pequenas mudanças podem surtir importantes efeitos. Sugiro que você comece a validar o que há de bom, tanto em si mesmo, quanto nos que estão ao seu redor e na sua vida em geral. Pare de ignorar o esforço de cada um e comece a perceber que todos nós, indistintamente, tentamos fazer o nosso melhor com o intuito singular de sermos aceitos e amados.

A grande maioria dos nossos problemas não passa de pura invenção de nossa mente. Complicamos porque temos medo de não estarmos prontos para caso algo dê errado. No entanto, raramente dá errado. E para comprovar esse fato, apenas tente. A partir de hoje, simplifique! Esteja presente! Viva o que há para ser vivido, mantenha-se em sintonia com seus sentimentos e descubra que ser feliz é bem mais fácil do que você sempre imaginou.

:: Rosana Braga ::



Está chegando a Primavera! O Sol ingressa em Libra




O equinócio de Primavera inicia em 23 de setembro de 2011, às 06h04min (Hora Oficial do Brasil). O Sol está voltando e, com ele, a estação mais alegre, cheia de flores, mais calorzinho e também mais alegria. As vitrines da moda já estão repletas de vestidinhos mais leves, todos floridos e coloridos! Tudo de bom. Astrologicamente (e astronomicamente) o Sol secciona o Equador Celeste no ponto 0º de Libra, e as horas do dia e da noite terão a mesma duração tanto no hemisfério Norte (dando inicio ao Outono) quanto no hemisfério Sul (dando inicio à Primavera). Esse ciclo se repete a cada ano apesar das loucuras do clima que às vezes chega a nos confundir. Acabamos sem saber em que estação estamos! Mas as árvores florescem direitinho, no momento certo: basta olhar os ipês amarelos que acabaram de anunciar o fim do inverno e os jacarandás mimosos que começam a anunciar a chegada da primavera.
O signo de Libra tem como representação uma balança e por essa razão esse signo também tem esse instrumento de medição como símbolo. Dois pratos que estão segurados por um ponto central, também chamado de fiel. O que ele representa? A equidade, o equilíbrio, a razão que nos ajuda a avaliar antes de decidir. Sendo um signo que pertence ao elemento Ar, ele confere aos seus natos a qualidade do pensamento e da sociabilidade.

As constelações foram criadas na antiguidade, conectando
pontos brilhantes do céu (estrelas ou planetas) ou seja 'desenhadas' sobre a abobada celeste, ou Esfera Celeste, figuras imaginarias que serviam de referência e de orientação para os deslocamentos e longas viagens por terra e por mar. Das 89 constelações existentes somente 12 são tocadas Sol em seu caminho aparente em volta da Terra. Do ponto de vista do habitante da terra, o céu sempre representou um grande mistério e também uma grande fonte de inspiração. E haja i
maginação para criar tantas figuras no céu! Certamente que essas figuras mitológicas servem e servirão sempre como arquétipos. E é por essa mesma razão que a astrologia usa essas doze figuras que formam os signos.
O Sol descreve este caminho aparente, chamado de elíptica, e forma um circulo que é chamado pelos astrônomos e astrólogos de Círculo Zodiacal. As doze constelações que estão colocadas no caminho aparente do Sol, por causa do movimento e da inclinação da Terra no seu eixo, não correspondem exatamente aos signos percorridos, porque algumas figuras são maiores, outros menores. Então a astrologia, convencionou que esse círculo fosse dividido em Doze Constelações de 30° cada uma, descartando assim a possibilidade de considerar Ophiucus, ou Ofiocus a 13ª Constelação tocada pelo Sol, já que esse portador de serpente tem somente'um pé' na roda zodiacal. Ophiucus era associado na mitologia grega ao Deus Esculápio (ou Asclépius), o Deus da Cura. (Ainda hoje vemos uma serpente em volta de um bastão
símbolo da medicina.) Descartado Ophiucus, às doze constelações restantes foram dados 30 graus cada, de forma a que a divisão em Casas permanecesse igual para todas. A primeira constelação, Áries, inicia-se em 20 ou 21 de Março, quando o Sol em seu caminho
seciona o Equador Celeste. É neste momento que ainda hoje se convenciona o início da Primavera no hemisfério norte e do Outono no hemisfério sul. Este é chamado de Ponto Vernal, a 0° de Áries. E quando o Sol secciona o Equador a 0º de Libra, acontece o contrário, ou seja, o início da Primavera no Hemisfério Sul e do Outono no Hemisfério Norte.

É importante salientar que o movimento convencional do Sol
não acontece sempre com a mesma velocidade (ele passa de um mínimo de 0º57'59" a um máximo de 1º0'51") e por essa razão o ingresso do Sol num determinado signo não acontece sempre na mesma data todos os anos. O calendário Gregoriano, usado no ocidente nos dias atuais, é impreciso e não corresponde exatamente ao passo do Sol. Esta é a razão pela qual seja o Mapa Natal que a Rev
olução Solar de uma pessoa (que é calculada para o momento em que o Sol retorna ao mesmo grau do nascimento) precisam ser calculados de forma exata por um astrólogo profissional. Esse ano o Sol ingressa em Libra às 06h04 no Brasil. No ano passado, por exemplo
, ele havia ingressado às 0h09min.

Mas voltemos à Primavera, após essa breve lição de astrologia!

O Signo de Libra é relacionado com o elemento Ar e é considerado um signo de beleza sendo regido pelo planeta Vênus. Vênus era a Deusa do Amor e da Beleza na mitologia e por essa razão os librianos são refinados, belos, adoram as artes e se preocupam principalmente com o lado social da vida, com os relacionamentos humanos e costumam interagir na sociedade onde vivem. A representação da Vênus de Libra é parecida com aquela figura quadro da Vênus do pintor renascentista italiano Botticelli (imagem abaixo): uma Vênus que sai das águas, dentro de uma concha. No mito de Prosérpina (Perséfone) que representa o arquétipo do renascimento da natureza na Primavera lembramos a belíssima filha de Geia, Prosérpina, eu foi roubada por Hades (Plutão na mitologia romana).

O Senhor das escuridão e da morte, rapta Prosépina e a leva para a sua moradia, nos infernos, nas entranhas da terra. A mãe de Prosérpina, Ceres (Deusa da Terra e da agricultura) desesperada com a perda da amada filha, perde o vigor, entristece, e parece morrer não produzindo frutos. Com esse arquétipo os antigos explicavam o ciclo do inverno no Hemisfério Norte, quando a terra fica fria, gelada sob a neve, as arvore ficam sem folhas e parecem morrer. Cansada de chorar, Ceres pede a Plutão que deixe sua filha voltar para ela, mas Plutão ama Prosérpina e não quer deixá-la partir. No entanto, após muita negociação e a intercessão dos outros deuses, ele concorda em devolvê-la para a sua mãe pelo menos durante seis meses por ano, mas exige que durante os outros seis meses ela permaneça com ele no inferno. Desta forma e para festejar o retorno de Prosérpina, a mãe Ceres se veste novamente com suas melhores flores, pede às árvores que se enfeitem, aos pássaros que cantem, e inicia um novo ciclo de renascimento e de felicidade. Este mito serve para nos mostrar como funciona o ciclo das estações do ano e da renovação da vida.

No Brasil, esse ciclo das estações é menos marcantes, pelo menos nos estados do norte e nordeste, no entanto, aqui no sudeste e no sul podemos sentir essa renovação no ar. Por essa razão podemos igualmente iniciar um processo de renovação em nossa vida. Aproveitando a energia de Libra podemos iniciar uma reflexão sobre como julgamos nosso vizinho, nosso amigo ou nosso parceiro. É o momento ideal para estreitar os laços com aqueles que amamos.

Se estivermos vivendo em conflito, ou se temos assuntos pendentes com nossos entes queridos, colegas ou chefes, podemos aproveitar este momento especial para começar a negociar, fazer acordos, dialogar e encontrar uma solução para que ambas as partes acabem se satisfazendo. Se houver uma troca sincera de afeto e não existirem mentiras ou subterfúgios conseguiremos construir um relacionamento solido, que irá perdurar no tempo. Essa energia é necessária para buscarmos a sociabilidade, a igualdade e a justiça. Olhar os dois lados da questão, pesar os prós e contras, nos ajudará também a ver o outro lado, a ceder um pouco e a compreender que nossa razão pode não ser a única.

Podemos também aproveitar para fazer uma faxina em nossos armários, doando as roupas que não queremos mais, jogando fora o velho para dar lugar ao novo, limpando a casa da energia estagnada. Coloque flores num vaso, ligue uma pequena fonte de água e se puder pinte sua casa ou seu quarto com uma cor pastel! Essa energia primaveril irá renovar a sua vida.

Permitir e Acreditar...

Nosso aprendizado por aqui não é o dos mais fáceis. Nosso contrato kármico, confeccionado por nós mesmos, muitas vezes é feito de muitas experiências dramáticas. Mas o que as pessoas desconhecem é que podemos renegociar esse karma durante o curso da nossa vida. Para isso basta permitir e acreditar. Um acompanhado do outro. Muita gente permite, mas não acredita e vice-versa.

A lei imutável que rege as nossas vidas no planeta é a da livre escolha, conhecida mais como "livre-arbítrio". Essa lei não é violada nem por Deus, portanto, tudo o que se quer mudar no projeto individual de vida tem que passar pela sua permissão.
Para ilustrar muito bem isso, lembro-me de uma moça que me ligou há muitos anos para marcar uma consulta. Ela acabara de descobrir um nódulo no seio de 5 cm enraizado. Estava em pânico, pois tinha 29 anos e tudo caminhava para uma mastectomia parcial. Marcamos, então, 3 dias depois do telefonema. No dia seguinte, ela me ligou se desculpando, pois precisava cancelar o nosso encontro, porque naquele horário e dia combinado havia conseguido uma consulta com um grande oncologista que tinha tido um cancelamento em sua agenda concorrida e poderia encaixá-la. Disse-lhe que não se preocupasse e fosse ao médico.
Passadas várias semanas, ela voltou a me telefonar. Contou-me que o médico a recebera muito bem e como os exames estavam bem recentes e atualizados, poderia marcar a mastectomia, imediatamente. E assim ela acabou realizando a mastectomia radical ou total. Ela prosseguiu o seu relato e disse-me que 15 dias após a cirurgia foi retirar os pontos e encontrou o médico muito desconfortável. Parecia que queria dizer algo, sem saber como. Após a retirada dos pontos ele desabafou: "- Eu tenho que te falar, pois até o momento não entendi bem o que aconteceu.
Os seus exames me revelavam um quadro bem diferente do que eu encontrei na hora em que fiz os seus exames preliminares pré-operatórios. Minha equipe viu que o nódulo que antes era de 5 cm enraizado, estava 2 cm capsular. Eu e minha equipe conversamos muito e decidimos que embora não precisasse a mastectomia, optamos por fazê-la. Queria que soubesse".

Quando ela acabou o relato, me fez logo a pergunta: "-Se eu tivesse optado por ir ter com você, teria sido totalmente curada? Em menos de 1 semana após a nossa conversa, o quadro havia mudado". Eu disse-lhe que a nossa escolha é respeitada, portanto, foi isso que acontecera. Também me lembro que quando conversamos naquela primeira oportunidade eu lhe perguntara se ela queria realmente a cura total e acreditava nisso. Ela me respondera que sim e com certeza os amigos multidimensionais iniciaram o processo de cura com a ajuda de sua permissão e crença. No meio do caminho, ela mudou de opinião e voltou-se para a medicina como a única alternativa e os amigos espirituais pararam de interferir para não invadirem o desejo dela. Ela queria ser curada pelo melhor cirurgião oncologista... e foi.

O Mestre Jesus em sua vinda ao planeta dizia:"-Vá, pois a tua fé te curou".

Tudo o que você quer curar e mudar em sua vida, seja o que for, precisa de sua PERMISSÃO E CRENÇA. Então, faça!

por Vera Ghimel

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Só falta o Colo...


Uma reflexão para quem tem filhos ... Ou ... um dia, deseja tê-los ...

Na sexta feira, dia 12 de maio 2006, uma amiga do meu filho, a Isa, pulou do 8º andar do prédio onde morava em Joinville -SC. Tinha acabado de almoçar, estava com o uniforme do colégio Bom Jesus, e a mochila nas costas, o que indicava que iria retornar ao colégio, pois nas quartas e sextas eles têm aula o dia todo.

Foi um choque para todos os colegas!

Aí vem a pergunta: Por quê?

Ela tinha apenas 15 anos. Que problemas uma menina de 15 anos pode ter?

Fiz esta pergunta ao meu filho, e a resposta me deixou chocada...

Ele me disse: Mãe, eu acho que era falta de colo!

Questionei: Como assim?

E ele me disse:

Hoje em dia, os pais trabalham praticamente o dia todo, sempre com a mesma desculpa de que querem dar aos filhos tudo aquilo que nunca tiveram e, na maioria das vezes, eles estão conseguindo. Eles estão dando um estudo no melhor colégio, cursos de idiomas, dinheiro pra gastar no shopping, um computador de última geração pro filho ficar enfiado em casa durante o pouco tempo livre que sobra, roupas, tênis, celular, tudo muito caro, etc... E sempre cobrando da gente boas notas, pois estão investindo muito...

Não era melhor então ter comprado ações, depositado na poupança, ou sei lá onde?

Na maioria das vezes, os pais não têm mais tempo para os filhos, não conversam mais, não fazem um carinho... Quando a gente chega em casa, o que mais quer é o colo da mãe quando vai mal nas provas, ou quando acontece alguma coisa ruim.

Por que você acha que hoje os adolescentes são quase todos revoltados?

Na maioria das vezes, eles estão querendo chamar a atenção, ser notados, só que no lugar errado e de forma errada: na rua e com violência.

Espero que a morte da Isa não tenha sido em vão, pois quem sabe desta forma muitos pais vão repensar suas atitudes para com seus filhos!

Não somos máquinas, não somos todos iguais. Não é porque o filho da vizinha tira só dez que todos nós vamos tirar 10...

Talvez, nem todos nós queiramos falar inglês!

Depois de me falar tudo isso em prantos, ele me abraçou e disse, olhando nos meus olhos:

Mãe, obrigado por você estar tão presente em minha vida, por eu poder contar sempre com você nos bons e nos maus momentos...

Obrigado, também, pelas broncas, pois sei que mereço.

O tempo e o amor são os melhores investimentos que vocês fazem pelos seus filhos, o resto é conseqüência.

"Porque sou do tamanho daquilo que vejo, e não do tamanho da minha altura." (Drummond)