terça-feira, 14 de junho de 2011

Origem do Calunga...

Sabe-se que nasceu no século XIX, em algum lugar do estado de Minas Gerais. Filho de ex-escravos * a abolição havia sido proclamada quando ele nasceu * Relata que teve 11 irmãos. Não ficaram claras as informações quanto à educação, ou seja, não dá para saber se era analfabeto ou se sabia ler e escrever perfeitamente. Faleceu aos 54 anos, vítima de Meningite.

Alguns dizem ter sido batizado por Sebastião (?), mas ele nunca disse nada disso. Era uma espécie de "curandeiro" e chegava a fazer até partos. Era muito ligado a uma avó africana tribo nagô, com quem aprendeu sobre remédios caseiros e rezas. Era muito procurado para curas, nesta época, em que a medicina era tão pouco desenvolvida.

Conta que era revoltado com "maldades" que os negros sofriam na época. Como fruto desta revolta, Calunga começou a praticar trabalhos espirituais contra aqueles que ele considerava merecedores. Estas pessoas, eram aquelas que realmente maltratavam muito dos negros e escravos, por isso, ele "achava" dentro de suas convicções da época, que estava fazendo algum tipo de "justiça".

Sua vida começou a mudar em um dia que estava na cachoeira, praticando um de seus trabalhos, quando teve uma visão de um Espirito de Luz, uma mulher, uma "santa". Esta mulher, lhe alertou sobre o mal que fazia, lhe explicou que não era bem assim e que do mesmo jeito que ele trazia coisas ruins com sua "prática", ele poderia trazer também coisas boas. A visão desta mulher foi tão marcante na vida dele, e o fez repensar tudo o que vinha fazendo. Em palestra no Espaço Vida E Consciência, Calunga,canalizado por Luiz Gasparetto, relatou que certa vez por não aceitar praticar um aborto, apanhou com pauladas, fora trancado e acorrentado, e que com medo de morrer pediu ajuda a "santa" da visão da cachoeira,que lhe apareceu e o desacorrentou. A partir daí ele sentiu-se endividado com ela, e decidiu que só usaria a magia para curar.

Mas a pesar d'ele mudar seus habitos e seguir para uma nova vida, Calunga simplesmente não pode mais continuar vivendo, devido a culpa e remorso que sentia pelo seu passado de vingança e acabou por desencarnar vítima de meningite.

Seguiu no Umbral por muito tempo pois sua culpa não o deixava descansar. Perdeu sua forma humana e virou uma entidade sofrida e isolada. A partir do momento que se cansou de sofrer, se rendeu e começou o processo do auto perdão. Então já teve condições de ser levado e onde começou a trabalhar em um hospital ajudando as pessoas que haviam desercarnado como ele, com culpa. Ajudou também as pessoas que ele tinha prejudicado, e isto também foi o ajudando a se sentir melhor.

Hoje reside , no astral, em uma Comunidade (ele a define como Crística) cujo nome não foi citado por ele. É "casado" com duas mulheres, porém não sabemos como se procedem os casamentos lá, mesmo porque os conceitos morais são distintos. Segundo suas palavras: "como as duas não queriam se separar, ficamos nós três juntos". Tem como mentor um espírito chamado Hilário. A Comunidade em que ele vive é espiritualista e segue uma linha diferente do Nosso Lar de André Luis. Como o próprio Calunga diz: "os defuntos não ficam todos juntos, cada um segue para a Comunidade a qual ele tem afinidade".

Curiosidade

Calunga citou algumas vezes que em sua reencarnação anterior nasceu na Região da Prússia (possivelmente Áustria hoje), era branco, loiro de olhos azuis. Vinha de família abastada, mas não se dava bem com o pai. Curiosidade: Disse que quando via figuras de pessoas negras, achava-as bonitas e exóticas, mas nesta reencarnação só as conhecida mesmo por gravuras. Alguns dizem que ele foi um musico famoso, mas nada concreto, e o Calunga nunca confirmou tal boato. Calunga também não explicou ainda porque passou de um europeu culto e rico na Europa para um filho de escravos em um país tropical. Talvez porque ainda nao seja pertinente esta informação, sendo algo pessoal que ele ainda nao queira compartilhar. A única coisa que Calunga comentou em um de seus audios, é que esta reencarnação no Brasil serviu para que ele perdesse sua arrogância e aprendesse a primeiro ouvir, observar, estudar a situação para depois "se intrometer" ou emitir opinião/conselho sobre a vida de outras pessoas.

2 comentários:

Lua Negra disse...

Mimi, lindo o seu cantinho, lindo post, parabéns!!
Beijos Mágicos.
Lua.

Estrela disse...

Muito interessante,aliás, como tudo que você posta.
Bjoks!